TORA NO O WO FUMU OTOKOTASHI

Tora no o wo fumu otokotachi ou aqueles que pisaram no rabo do tigre

O título acima eh de um filme de Akira Kurosawa, que nos mostra a realidade e a sociedade em que vivemos, bandidos, samurais, ronins, ninjas, todos se esquivam do mundo de pecados espirrando sangue de parentes, de semelhantes e até mesmo de si próprio. Estamos todos inseridos na sociedade do espetáculo, na sociedade dos pecados (vide anexo Sinnermam enviado pelo amigo Cenora G.Valley de Belém do Paré). Observamos diariamente acidentes fatais na televisão, e ao mesmo tempo assistimos divertimentos gratuitos. Suehiro Maruo em suas obras sadianas já nos alerta do quão  bizarro e indeglutível está a fronteira entre o tesão e o horror. “O que não é ligeiramente deformado tem um ar insensível – a surpresa e a admiração ao que eh deformado é  característica de principal de beleza” é o que postou Baudelaire anos atrás em seu blog invisível.

A situação ‘revolucionária’ desta bosta mental sul-americana apresentava-se assim: o contrário do burguês não era o proletário — era o boêmio! As massas, ignoradas no território e como hoje, sob a completa devassidão econômica dos políticos e dos ricos. Os intelectuais brincando de roda.

(Oswald de Andrade, preacio de Serafim Ponte Grande)

Entramos no palco do Jogo da Morte, filme de Bruce Lee. Este eh o unico jogo que podemos  perder com dignidade, que podemos assassinar o governo e esbofetear o Publico.

Meu artigo não fala de “Doutrinas Subliminares:  submundo da dominação/manipulação cultural animada“… mas fala da bricolage, do dadaísmo como saída para o mundo globalizado, como faz Tarantino. O que o Ti fala em apropriação, eu chamo de antropofagia, deglutir as ideias como  Oswald de Andrade abrindo os olhos dos mortos, gritando ao megafone a sua insatisfação, exercendo o papel de Serafim Ponte Grande que vai embora de seu romance a hora que quer, é ele quem vai contra o inconformismo, rompendo com crítica e sarcasmo o modo de vida burguês, que aceita a doença social, da estagnação diante da alienação mental. O humor negro, característica minha e diante de um mundo mais negro ainda no qual o Dr. Terror encaminha seu rebanho com ironia. Não eh possível aceitar tudo que nos vem enlatado, principalmente quando pensamos nos heróis e em Hollywood, na mitosofia que o cinema cria, as imagens fascinam. Mas o verdadeiro pensamento selvagem esta sincrônico e diacrônico ao mesmo tempo, como disse Levi Strauss. Esse pensamento está na linguagem e na informação que foi passada, pelo meio de comunição. Heath Ledger em certo momento atravessou a relidade para alcançar o verdadeiro joker que existe.  As mensagens já estão realmente explícitas no mundo de hoje, se a Disney fala sobre satanismo e bruxaria subliminarmente,  As terríveis aventuras de Billy e Mandy são extremamente diretas na relação das crianças com o mundo, aceitando o sobrenatural e aceitando a morte como melhor amiga. Como quando Bergman faz seu personagem principal jogar xadrez com a morte para poder continuar vivo. A mitologia não eh senão, a aceitação de que o mundo eh regido por diversas forças que comandam a vida do homem, tanto que a marioria dos deuses gregos têm templos e seguidores diferenciados. Quem tira mais vidas do que o próprio Zeus, Hades tem um trabalho mais polido, pois tem função pública de receber as almas no inferno, por isso tem de saber realizar a função de anfitrião. O diabo  eh e sempre será o pai do rock, Al qaeda, George Bush são importantes para explicar o fenômeno de violência atual, mas é Jesus Cristo e Santa Claus que recebem as orações. O Mito de Jesus Cristo é o Serafim Ponte Grande, no imaginário cultural, que pode ser o que quiser, pois ele é o signo, ele eh o Antonio Conselheiro que grita, ele é o artista no topo da raça, distribuindo e captando informações, traficando informações e pirateando dados no tempo – internet, que é um tempo diferente de todos os outros já inventados pelo homem. Se Brainiac vier que o deixem em paz para  catalogar e distribuir tudo que for possível.

— Tudo é tempo e contra-tempo! E o tempo é eterno. Eu sou uma forma vitoriosa do tempo. Em luta seletiva, antropofágica. Com outras formas do tempo: moscas, eletro-éticas, cataclismas, polícias e marimbondos! / Ó criadores das elevações artificiais do destino eu vos digo! A felicidade do homem é uma felicidade guerreira. Tenho dito. Viva a rapaziada! O gênio é uma longa besteira!

(Serafim Ponte Grande)

Em vez do western japones ser spaghetti eh sukiyaki, mas  mundo se mistura, mixa, samplea genes e idéias caminhando para própria destruição da forma e vida capital, como já diria Marx, os homens do pecado submergem do caos social e histórico. O pecador hoje eh anti americano, e segue a moda Barack Obama e ao mesmo tempo não aceita o american way of life.  “O meio é a mensagem” , citando Marshall Mcluhan o pai da comunicação. O entretenimento como já diria Decio Pignatari eh o que massageia nosso ego, a TV e até mesmo as artes divertem os espectadores do mundo todo. Não liberamos a kundalini de nosso fardo critico-filosófico que o ser humano tem. A visão crítica inerte nos seres humanos vive uma crise global. A guerra que é a própria abstração do contraste bizarro que permeia o mundo, que está acostumado a viver com a miséria mas nunca com a maldade.

Eu acreditava que o mundo caminhasse rumo ao progresso, positividade
Morpheus de Matrix me mostrou toda a verdade
Olhar de um cidadão urbano, urbanóide
Grandes cidades acostumadas a conviver com a miséria, mas nunca com a maldade

(Planet Hemp, musica A Invasao Do Sagaz homem fumaça)

Existe muita tecnologia pra pouca qualidade pensante, artistas que se massageiam com o meio e com o espetáculo bizarro, são mais de mil palhaços no salão, que Ze Kéti já observara.  Que gritam nos celulares, para serem ouvidos, para transmitirem a guerra cultural-economica que Deus já previa. A patologia vem de uma sociedade antiga em um admirável mundo novo, onde o fascismo cresce com a tecnologia e a natureza diminui com a inteligência. “Ir pra Marte num sabadão é muito melhor do que ficar em casa viajando” (Os Os Otavios,  trecho da musica “Baile em Marte”)

image

Regi este texto dia 30 , as vésperas do ano novo, no fim do ano do boi e na entrada do ano do tigre. O tigre que evoca as nuvens, que evocam o sol, o sol que evoca o dragão que evoca os raios, que novamente evocam as nuvens.
image

Precisamos ser como Shade o Homem Mutável, criado por Steve Ditko, para nos adaptarmos as bruscas mudanças, aos bruscos pecados.

ANEXO COM VERSÕES DA MÚSICA SINNERMAN DE:

The Seekers

Bob Marley and The wailers

Nina Simone

(!)

 (!!)

 (!!!)

Oh Sinnerman, where you gonna run to? Sinnerman, where you gonna run to? Where you gonna run to? All along dem day Well I run to the rock, please hide me I run to the rock, please hide me I run to the rock, please hide me, Lord All along dem day But the rock cried out, I can’t hide you The rock cried out, I can’t hide you The rock cried out, I ain’t gonna hide you guy All along dem day I said, Rock, what’s a matter with you rock? Don’t you see I need you, rock? Lord, Lord, Lord All along dem day So I run to the river, it was bleedin’ I run to the sea, it was bleedin’ I run to the sea, it was bleedin’ All along dem day So I run to the river, it was boilin’ I run to the sea, it was boilin’ I run to the sea, it was boilin’ Along dem day So I run to the Lord, “please hide me Lord Don’t you see me prayin’?” Don’t you see me down here prayin’? But the Lord said, go to the devil The Lord said, go to the devil He said, go to the devil All along dem day So I ran to the devil, he was waitin’ I ran to the devil, he was waitin’ Ran to the devil, he was waitin’ All on that day I cried – POWER! (Power to da Lord) [8x] Bring down, (Power to da lord), [4x] POWER! (power to da lord) [12x] Oh yeah, Woh yeah, Woh yeah Well I run to the river, it was boilin’ I run to the sea, it was boilin’ I run to the sea, it was boilin’ All along dem day So I ran to the Lord I said, Lord hide me, please hide me please help me Along dem day He said, child, where were you when you oughta been prayin’? I said,Lord, Lord, hear me prayinLord, Lord, hear me prayin’ Lord, Lord, hear me prayin All along dem day Sinnerman you oughta be prayin’ Oughta be prayin’, Sinnerman Oughta be prayin’, All on that day I cried – …POWER! (Power to da Lord) [12x] Go down (Power to da Lord) [3x] POWER! (Power to da Lord) [3x] Power, Power, Lord Don’t you know I need you Lord Don’t you know that I need you Don’t you know that I need you Power, Lord!

2 Respostas to “TORA NO O WO FUMU OTOKOTASHI”

  1. Stunning, I didn’t heard about that up to the present. Cheers.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: