Totally looks Like

O problema  de cópias e direitos autorais só é entendido através da correlação entre os fatores dominantes que compõem a sociedade.  Há os econodwarves, que são os economistas que defendem a propriedade intelectual como a única forma de estimular economicamente a inovação. Mas para mim o direito autoral reclama para si a obra que é do mundo, eis que entram as cópias. No filme F for Fake (1975) de Orson Welles, isso é mostrado através do pintor Elmyr Horyque faz cópias de Modigliani, melhores que as próprias obras do Modigliani. “O proprietario, o ladrão, o opressor, o soberano – todos esses títulos são sinônimos – impõem sua vontade como lei, sem objeções ou controle; isto é, fazem o papel do poder legislativo e executivo ao mesmo tempo . . . a propriedade engendra despotismo . . . A essência da propriedade é tão clara que, para vê-la,  basta observar o que acontece à sua volta. A propriedade é o direito do uso e do abuso . . . se bens são propriedade, porque os proprietarios não seriam reis, reis despóticos. . . ? E se cada proprietario é um senhor soberano dentro da esfera de sua propriedade, um absoluto rei dentro de seu próprio domínio, como poderia um governo de proprietarios ser outra coisa além de caos e confusão?” . Pierre Proudhon

Retirar da sociedade o que lhe pertence é o pior de todos os roubos. Devemos propagar a informação, passar de mão em mão tudo que todos podem absorver. A cópia da cópia, um ready-made que não significa nada mais que radicalizar a idéia de arte; é o que precisamos cultivar para o futuro do cotidiano moderno. A arte imita a vida ou a vida imita a arte, essa frase de Oscar Wilde poderia ser entendida como a própria percepção humana diante de todo o imaginário que compõem seus mitos, diante da sua própria incapacidade de criar ou de inventar, então sua capacidade de copiar e re-copiar para re-inventar e assim se assimilar ou assemelhar com outros de sua espécie. Joseph Campbell em sua análise mitológica e simbólogica diz que “Aquilo que os seres humanos tem em comum se revela nos mitos

As crianças em seu imaginário sombrio, sem noção do mundo cruel que existe em sua volta, busca ajuda em seus amigos imaginários, o que é decorrente de um mundo afastado, principalmente agora com blogs, e twitters, e facefooks da vida que nos limitam a ter amigos virtuais, e assim crescemos e esquecemos nossos amigos a qual conversamos sozinhos, atuamos no espelho, fazemos pactos demoníacos ou até mesmo oramos a noite pedindo proteção. I see dead people. Eu não vejo nada além do própio mundo, mas dentro de minha mente vejo infinitas realidades e possibilidades. Eu vi duendes, eu sou cético, Moliere em seu teatro O Doente Imaginario (Le Malaide Imaginaire) de 1673 questiona o papel de um doente, será que o que ele precisa é atenção, será que a doença da mente existe realmente, ele está debilitado ou finge essa doença. O poeta é um fingidor como diria Pessoa, ou só precisamos de uma cura, de um nepente, so precisamos tomar um remedinho para aliviar a mente. Precisamos de um relaxante para a imaginação, para depressão. Deixo essa parte da doença mental para meus colegas NMS, pois é um assunto que doutoramos (psicologia, psicopatia, psicossomatico etc..) Esse assunto tão sério vai acabar virando uma piada dentro deste meu post, pois o que analisei aki são as cópias, as semelhanças, o imaginário se repetindo no real e o real no imaginário. Não abandonemos nosso imaginário senão eles terão de entrar na fila de espera na Mansão Foster para amigos imaginários e quem sabe eles nunca mais tenham um amigo de verdade.

A cópia, o humor, a sobriedade, as coisas quando parecidas, causam estranhamento, ou; é tutto parte de um jogo, de um destino humano, de seu duplo, doppelganger. Separei umas imagens que relacionam-se entre si, entre quadrinhos entre a mitologia e simbologia, entre a imaginação e a confusão, imagens quem vem de uma série da internet que se chama Totally Looks Like, portanto é algo mais para entreter, refletir, imaginar e criar. “Primeiro, quando vocês se sentarem para meditar, recitem alguns versículos sobre a glória de Deus, de modo que os pensamentos que estão espalhados possam ser recolhidos. Então, gradualmente, enquanto fizerem a repetição do nome, tragam para diante do olho da mente a forma que esse nome representa. Quando sua mente vagar na recitação do nome, fixe-se à imagem da forma. Quando ela afastar-se da imagem da forma, conduza-a ao nome. Deixe-a permanecer nesta ou naquela doçura. Tratada assim, a mente poderá facilmente ser domada. A figura imaginária que vocês delinearam se transmutará na imagem emocional, querida ao seu coração e fixa na sua memória; gradualmente, ela se tornará o Sakshathkara chithram – quando o Senhor assumir essa Forma para realizar o seu desejo.”  Sai Baba

Neste gibi de Suehiro Maruo vemos um personagem muito parecido com Michael Jackson espancando uma criança que pergunta whose bad:

to be cotinued…

3 Respostas to “Totally looks Like”

  1. Diferenças e semelhanças, afinal, podem ser a mesma coisa… post genial!

  2. Gabriel Loyola Says:

    Realmente, existem semelhanças que impressionam

  3. Amanda Ritielly Says:

    kk.
    Realmente
    Parece demais…
    Parabéns…
    Muito hilario……

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: